Buscar
  • Igreja Batista Mineira

O mal do século

Atualizado: 11 de Set de 2019

por José Marcelo Fernandes Domingos

Tenho preocupação com as reduções conceituais. Elas, invariavelmente, deixam à margem os processos sociais que formam os próprios conceitos, distanciando-os da realidade. Mas, neste caso, acredito que posso avançar por esse caminho ao reduzir a depressão à categoria de mal do século XXI.


Não há ineditismo nesta constatação. Outros já fizeram. A realidade é perturbadora e assustadora. O que antes era algo distante de todos e restrito a poucos casos com histórias psiquiátricas comuns, hoje está presente em todas as famílias e, muitas vezes, em nós.


O escritor americano Andrew Solomon definiu a depressão como um parasita que suga a seiva da nossa vida. Outros já disseram que é o cárcere da alma, a masmorra das emoções, um cativeiro que priva milhões de pessoas de nutrirem na alma, a esperança do amanhã.


A depressão atinge a todos indistintamente. Não escolhe classe social, religião ou idade.


Depressão é uma doença – e como tal, não deve ser simplificada nas interpretações religiosas. John Piper, em seu livro “O Sorriso Escondido de Deus”, aponta duas posições que circulam no meio evangélico e que revelam um desequilíbrio perigoso. A primeira delas liga a depressão à ação demoníaca. Os defensores dessa vertente afirmam que as pessoas deprimidas estão oprimidas e até possuídas por demônios. A segunda interpretação vincula a depressão a algum pecado específico ainda não confessado. Assim, uma pessoa fica deprimida porque esconde algum pecado que precisa ser confessado e abandonado.


É bem verdade que uma pessoa que se envolva com demônios ou esconda pecados em sua vida, esta atividade pode levá-la a depressão severa. Entretanto, alguém pode viver longe de tudo isso, inclusive, com uma vida cristã dedicada e, ainda assim, ser acometido pelo mal do século. Há pessoas que estão na presença de Deus, servindo em ministérios na igreja, adorando ao Senhor com integridade e enfrentam o drama e o estrangulamento da depressão.


A depressão, também conhecida como tristeza da alma, tira o melhor da vida e delimita as emoções ao mundo do negativismo e do pessimismo. O olhar deprimido não vê luz e nem túnel, muito menos alguma janela ou porta de saída. A percepção geral é que o poço não tem fundo e o futuro está fadado ao fracasso. Não obstante a crueldade e a força da depressão – ela, assim como tudo mais, não necessariamente entra para a categoria do ponto final na vida.


Pode ser apenas um doloroso ponto continuativo que leva homens e mulheres a retirarem a cera do ouvido da alma. Deus, o autor da vida, pode arrancar os gemidos da alma e colocar um novo cântico de vitória nos lábios de todos os que creem. A depressão pode ser o mal do século – mas não precisa ser um mal na sua vida por toda a sua vida.


Há esperança na fé!



32 visualizações
Igreja
Batista
MineirA

batistamineira@gmail.com

 

Rua Piauí, 1045 - Funcionários

Belo Horizonte / MG

CEP 30150-321

  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon

@2019 - Site desenvolvido por JP | Designer